Pular para o conteúdo principal

[PARA DISCUTIR] NOVA GUERRA FRIA?


Uso de armas nucleares volta ao debate nos EUA com Trump na Casa Branca
Reprodução: EBC
Com a chegada de Donald Trump ao poder, o viés militar republicano voltou ao debate nos Estados Unidos, após o teste com um míssil lançado pelo governo iraniano e recentes declarações do presidente Trump sobre o acordo nuclear com o Irã. Trump disse no Congresso que “não descarta a opção nuclear” se for necessário para manter os EUA em segurança.

Desde a campanha eleitoral Donald Trump tem defendido que os Estados Unidos devem investir em sua capacidade nuclear, numa direção contrária à adotada por Barack Obama, que defendeu abertamente a eliminação de armas nucleares do mundo. E, neste início de governo, Trump dá sinais de que pretende conduzir a política externa, pautada na segurança. Num dos seus primeiros atos no governo, ele encomendou ao Pentágono um plano de ação para destruir o grupo extremista Estado Islâmico (EI), com prazo para entrega de 30 dias.


Hoje (3) o secretário de Defesa americano, James Mattis, em sua primeira viagem internacional a Seul, na Coreia do Sul, afirmou que a resposta militar do país será “eficaz e arrasadora”, caso a Coreia do Norte utilize hipoteticamente uma arma nuclear contra os Estados Unidos e aliados.

Mattis se reuniu com o ministro da Defesa coreano, Han Minkoo, com quem tratou de detalhes sobre o porjeto de implantação de um sistema de defesa antimíssil norte-americano em território sul coreano ainda este ano. Ambos os países estão atentos aos movimentos da Coreia do Norte que há poucas semanas informou ter realizado com sucesso testes com misseis nucleares de longo alcance.

Depois de Seul, Mattis seguiu para o Japão, onde terá encontros com o chanceler Fumio Kishida e o primeiro-ministro Shinzo Abe.

Acordo com o Irã em discussão

Esta semana, também esteve na pauta americana o acordo nuclear com o Irã, depois daquele país ter feito testes com um míssil balístico, que o governo iraniano disse ter sido apenas um “foguete comum”.

O Irã assinou no ano passado um acordo de desarmamento firmado com um grupo de seis países: Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Rússia, China e Alemanha. Na época parte da população norte-americana viu a decisão com muita desconfiança e os republicanos disseram que não se podia confiar nos iranianos.

Hoje (3) pela manhã Trump comentou novamente o assunto no Twitter e escreveu que o Irã está “brincando com fogo” e ironizou que os testes mostram o quanto o país gostava ou “levava o presidente Obama a sério”. Ontem ele defendeu que o acordo com o Irã seja revisto, mas admitiu que isso será mais difícil, porque envolve outros cinco países.

Também nesta sexta-feira (3) o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou um novo pacote de sanções contra o Irã, por conta do recente teste de míssil. Os alvos das medidas são 13 pessoas e 12 empresas e entidades iranianas supostamente envolvidas no programa armamentista de Teerã. Elas são acusadas pelos EUA de "contribuir para a proliferação de armas de destruição em massa" e de "ligações com o terrorismo".

* Com informações da agência ANSA.

Fonte: EBC - publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 3.0 Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas. Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar. Caso você te

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados. Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras. As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; pr

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas. Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais. População da Rússia Densidade demográfica 8,8 hab/km² Homens 66.644.047 habitantes Mulheres 76.812.871 habitantes População residente em área rural 26,08 % População residente em área urbana 73,92 % População total 143.456.918 habitantes Taxa bruta de mortalidade 15 por mil Taxa bruta de natalidade 12 por mil Taxa média anual do crescimento da população 0,042 % População do Canadá Densidade demográfica 4 hab/km² Homens 17.826.268 habitantes Mulheres 18.113.659 habitantes População residente em área rural 18,35 % População residente em área urbana 81,65 % População total 35.939.927 habitantes Taxa bruta de mortalidade 8 por mil Taxa