Pular para o conteúdo principal

Nota da CNTE contra a BNCC

Saiba porque somos contra a BNCC do MEC Golpista

1.
Fragmenta a educação básica, excluindo o Ensino Médio da discussão da Base Nacional Comum
Curricular (BNCC). Na verdade, o MEC quer legitimar o currículo empobrecido aprovado na
Reforma do Ensino Médio, deixando de fora essa etapa da BNCC.
2.
Além do Ensino Médio, a BNCC/MEC desconsidera as modalidades de Educação Especial e de
Educação de Jovens e Adultos, além da Técnica-Pro ssional associada ao Ensino Médio, bem como
deixa de fora do debate nacional as escolas indígenas, quilombolas e do campo, traços marcantes
da luta pela inclusão social e escolar de todas as populações que habitam nosso imenso e
desigual país.
3.
O documento do MEC confunde Base Nacional com Currículo Mínimo, chegando a propor
conteúdos por idade/série. E esse critério autoritário extrapola os limites legais da LDB para a
construção do currículo à luz do projeto político-pedagógico das escolas.
4.
A BNCC/MEC impõe conceitos acabados de competências curriculares para os currículos escolares,
ao invés de debater questões relacionadas a direitos e objetivos de aprendizagem, conforme
determina o PNE. E isso explica a proposta acabada de currículo por idade/série no texto da BNCC
e a preponderância dos testes nacionais de larga escala que se consagrarão como a linha mestra
do currículo escolar.
5.
A proposta do MEC Golpista de BNCC dialoga com a reforma trabalhista e a Lei da Terceirização, ao
propor conteúdos mínimos facilmente traduzidos para cartilhas a serem seguidas por professores
ou “instrutores”.
6.
A discussão da BNCC desconsidera as regulamentações do Sistema Nacional de Educação e do
Custo Aluno Qualidade (CAQi e CAQ), além de outras políticas previstas no Plano Nacional de
Educação, a exemplo da efetivação da Política Nacional de Formação dos Pro ssionais da
Educação (Decreto 8.752) e de valorização salarial e da carreira dos pro ssionais da educação
(metas 17 e 18 do PNE, ambas ignoradas pelo MEC).
7.
A privatização da educação está embutida no conceito de BNCC/MEC, que reduz o currículo das
escolas públicas, investe na despro ssionalização dos/as educadores/as e estimula o mercado de
livros, apostilas e de métodos pedagógicos e de gestão escolar atrelados a conceitos de qualidade
empresarial.
8.
A BNCC/MEC não respeita o princípio da Gestão Democrática, pois não permitiu a presença da
sociedade na etapa de consolidação das propostas recolhidas através do site do MEC. E não há
nenhuma garantia de que o MEC Golpista acatará qualquer proposta de alteração do texto
eventualmente sugerida pelo Conselho Nacional de Educação.
9.
A última versão da BNCC desconsidera temas extremamente sensíveis na sociedade e nas escolas,
como a identidade de gênero e a diversidade sexual. E ao se esquivar dessas questões, o MEC
empodera forças conservadoras da sociedade, recrudescendo o machismo e as inúmeras formas
de intolerâncias contra grupos sociais e pessoas.
10.
A BNCC/MEC restringe o conceito de educação a conteúdos ministrados em sala de aula,
desconsiderando o papel pedagógico dos funcionários da educação nos diversos espaços
educativos da escola.

Fonte: CNTE - Confederação NAcional dos Trabalhadores em Educação

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas. Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar. Caso você te

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados. Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras. As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; pr

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas. Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais. População da Rússia Densidade demográfica 8,8 hab/km² Homens 66.644.047 habitantes Mulheres 76.812.871 habitantes População residente em área rural 26,08 % População residente em área urbana 73,92 % População total 143.456.918 habitantes Taxa bruta de mortalidade 15 por mil Taxa bruta de natalidade 12 por mil Taxa média anual do crescimento da população 0,042 % População do Canadá Densidade demográfica 4 hab/km² Homens 17.826.268 habitantes Mulheres 18.113.659 habitantes População residente em área rural 18,35 % População residente em área urbana 81,65 % População total 35.939.927 habitantes Taxa bruta de mortalidade 8 por mil Taxa