Pular para o conteúdo principal

Sou contra o imperialismo dos EUA, diz Nicolás Maduro


Foto: @PresidencialVen
Nicolás Maduro disse que as sanções dos Estados Unidos tem por motivo a não obediência do governo venezuelano às ordens de governos estrangeiros e não deixar que o petróleo do país caia nas mãos de magnatas.

"O povo venezuelano decidiu ser livre e eu sou o presidente de uma nação livre, a República Bolivariana da Venezuela", disse segunda-feira o presidente Nicolás Maduro sobre as sanções contra ele impostas pelo Governo dos Estados Unidos (EUA).

Maduro disse que é uma "reação irada porque o povo da Venezuela desobedeceu a ordem dos Estados Unidos para suspender a Constituinte", acrescentando: "Eu não recebo ordens do exterior, eu sou um presidente independente, eu sou contra o imperialismo estadunidense".

O presidente disse que as sanções se devem por causa da convocação das eleições para o povo venezuelano que votou livremente e escolheram uma instituição como a Assembléia Nacional Constituinte (ANC), cujo objetivo é dirigir a nação em direção ao diálogo, a paz, o fortalecimento a luta contra o terrorismo e a impunidade, e superar o modelo rentista do petróleo.

O presidente disse que vai continuar a defender os direitos da Venezuela e seus recursos naturais.

Ele explicou que ele foi punido "porque eu não recebo ordens de governos estrangeiros, para não deixar que nosso petróleo venezuelano caia nas mãos dos magnatas, por defender os recursos naturais que nunca mais serão do império americano".

Portanto, o Presidente saudou esta sanção "porque vou continuar defendendo os direitos de Venezuela, Colômbia, México e os recursos do nosso país."

Para as eleições que ocorreram no domingo, 30 de julho, foram convidados a votar mais de 19,4 milhões de venezuelanos. Mais de 24.000 mesas de votação que foram estabelecidas em cerca de 14.500 centros eleitorais no país.

No primeiro relatório, o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) informou que o número de eleitores foi de 41,53%, um total de 8,089,320 pessoas.

Sanções dos Estados Unidos

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos (EUA) na segunda-feira anunciou sanções contra o presidente legítimo da Venezuela, Nicolás Maduro, por alegada "quebra da ordem constitucional" por causa da eleição da Assembléia Nacional Constituinte (ANC) na que votaram mais de oito milhões de pessoas.

As sanções consistem em congelar supostos "bens" do mandatário venezuelano nos Estados Unidos e os cidadãos americanos são proibidos de fazer negócios com Maduro.

A declaração do Tesouro dos Estados Unidos argumenta que o presidente Maduro realizou a Assembléia Constituinte, apesar da oposição dos venezuelanos e de governos de direita de vários países.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas. Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar. Caso você te

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados. Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras. As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; pr

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas. Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais. População da Rússia Densidade demográfica 8,8 hab/km² Homens 66.644.047 habitantes Mulheres 76.812.871 habitantes População residente em área rural 26,08 % População residente em área urbana 73,92 % População total 143.456.918 habitantes Taxa bruta de mortalidade 15 por mil Taxa bruta de natalidade 12 por mil Taxa média anual do crescimento da população 0,042 % População do Canadá Densidade demográfica 4 hab/km² Homens 17.826.268 habitantes Mulheres 18.113.659 habitantes População residente em área rural 18,35 % População residente em área urbana 81,65 % População total 35.939.927 habitantes Taxa bruta de mortalidade 8 por mil Taxa