Pular para o conteúdo principal

Ministro russo considera alto o risco de combate entre EUA e Coreia do Norte


Donald Trump cumprimenta o ministro russo das Relações Exteriores Sergei Lavrov Agência Lusa/Russian Foreign Ministry/Arquivo
O ministro de Relações Exteriores russo, Sergey Lavrov, disse nesta sexta-feira (11) que é "muito alto" o risco de um confronto militar entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, e lembrou que Moscou se opõe terminantemente ao armamento nuclear de Pyongyang. A informação é da EFE.

"Considero que o risco é muito alto. Especialmente levando em conta a atual retórica: soam claras ameaças do uso da força", disse Lavrov. Ele lembrou que "a Coreia do Norte diz que tem direito a fabricar armas nucleares e que inclusive já as tem". E reconheceu que Moscou está "muito preocupada" pelas ameaças de Washington de um possível ataque preventivo e as agressivas respostas de Pyongyang.

"Os comentários (nos EUA) de que é preciso realizar um ataque preventivo à Coreia do Norte e as afirmações de Pyongyang que é preciso atacar a ilha de Guam não param e isso algo é que nos preocupa muito", apontou o chefe da diplomacia russa. Ele afirmou que fará todo o possível para evitar um conflito e pediu que Washington dê o primeiro passo para rebaixar a tensão.

Leia mais>>> Europa se mobiliza no caso da Coreia do Norte


"Opino que quando a situação desemboca praticamente em uma briga, quem deve dar o primeiro passo para se afastar dessa perigosa linha é o mais forte e astuto, ou seja, os Estados Unidos”, comentou.

Lavrov ainda lembrou que a Rússia e a China propuseram no começo de julho "um plano muito sensato para um duplo congelamento". Por parte do regime de Kim Jong-un, visando suspender todos os testes de armas nucleares e mísseis balísticos, e para EUA e Coreia do Sul a suspensão das suas manobras militares conjuntas em grande escala.

Trump diz que solução militar para atacar Coreia do Norte está pronta

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse hoje (11) no Twitter que uma solução militar para atacar a Coreia do Norte já está pronta, mas ele descartou um ataque no momento. “Se a Coréia do Norte atuar imprudentemente, as soluções militares estão definidas e [as armas] estão carregadas", escreveu. E completou: "Espero que Kim Jong Un encontre outro caminho!”

Depois de mais um episódio da escalada de tensões entre Estados Unidos e Coreia do Norte, Trump foi mais ponderado em sua postagem de hoje, ao dizer que um plano de ação está pronto, mas descartado no momento. A semana foi marcada por declarações e provocações entre Donald Trump e o líder norte-coreano Kim Jong Un.

O presidente americano disse no começo da semana que responderia à Coreia do Norte com fogo e fúria, caso o país decidisse atacar os Estados Unidos. As declarações foram dadas por Trump dois dias depois de o Conselho de Segurança das Nações Unidas anunciar sanções econômicas ao país presidido por Kim Jong Un.

Em seguida, o governo norte-coreano anunciou que estava examinando um plano de ataque à Ilha de Guam, território norte-americano no Pacífico, a leste das Filipinas.

Donald Trump recebeu críticas internamente e da comunidade internacional pelas declarações de terça-feira. O tom provocativo utilizado por ele, foi classificado pela imprensa e analistas da diplomacia mundial como, impulsiva e imponderada.

Ontem em novas declarações, ele manteve a postura rígida direcionada a Pyongyang ao dizer que "talvez a expressão fogo e fúria [utilizada anteriormente] não tenha sido forte o suficiente. Trump reafirmou que o país sofrerá uma derrota vergonhosa se "persistir em suas aventuras militares e pressões extremas".

O presidente afirmou, entretanto, que não discutirá um ataque preventivo à Coreia do Norte. "Nós não falamos sobre isso. Não fazemos isso," disse.

A China e a Alemanha defenderam a busca do diálogo entre as partes e o fim das provocações. E além do discurso um pouco mais ameno de Trump hoje pelo Twitter, EUA e Coreia acertaram dialogar antes de tomar uma atitude contra a Coreia do Norte.
Fonte: EBC


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas. Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar. Caso você te

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados. Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras. As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; pr

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas. Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais. População da Rússia Densidade demográfica 8,8 hab/km² Homens 66.644.047 habitantes Mulheres 76.812.871 habitantes População residente em área rural 26,08 % População residente em área urbana 73,92 % População total 143.456.918 habitantes Taxa bruta de mortalidade 15 por mil Taxa bruta de natalidade 12 por mil Taxa média anual do crescimento da população 0,042 % População do Canadá Densidade demográfica 4 hab/km² Homens 17.826.268 habitantes Mulheres 18.113.659 habitantes População residente em área rural 18,35 % População residente em área urbana 81,65 % População total 35.939.927 habitantes Taxa bruta de mortalidade 8 por mil Taxa