Pular para o conteúdo principal

Igualmente diferente


Comunidade de aprendizagem no DF não terá provas nem divisão por salas


O aprendizado por meio de projetos, sem aplicação de provas e com a participação da comunidade, é a proposta da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá (CAP), que começará este ano a atender 560 crianças da região administrativa, que fica a cerca de 15 quilômetros do centro de Brasília.

A estrutura não terá a divisão usual por salas e cadeiras enfileiradas. A ideia é que os estudantes proponham temas e os desenvolvam por meio de projetos, oficinas e roteiros de estudo. Por exemplo, uma criança que mora em uma rua sem asfaltamento, que afeta a saúde de algum membro da família, por causa da poeira, pode levar essa demanda para a escola, que será trabalhada em diversos aspectos.

“A partir dessa demanda, o currículo da criança vai ser trabalhado em torno desse projeto. Ela vai aprender em química como se faz a mistura do asfalto, pode aprender por que a poeira causa doenças. Também vai ter que ter atitudes para mudar a realidade, fazer passeatas, ligações para pressionar o governo. Ações cidadãs, além dos conteúdos que serão abarcados em todo o projeto”, explica a professora Marina Teatini de Carvalho, uma das idealizadoras do projeto.

Apesar da forma de ensino diferenciado, o conteúdo é o mesmo previsto na Base Nacional Comum Curricular. Não haverá medição do aprendizado por meio de provas, e a avaliação será feita de maneira contínua, processual e cumulativa.

Estrutura


O projeto foi elaborado por um grupo de professores para ser aplicado pela Secretaria de Educação do Distrito Federal, ou seja, será uma escola pública. O prédio onde funcionará a CAP ainda está em obras, e deve ficar pronto até abril. Por enquanto, as crianças da comunidade estão assistindo a aulas em uma escola na região administrativa do Cruzeiro, mas as professoras da CAP já estão trabalhando com os alunos em galpões no Paranoá.

A estrutura principal da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá é dividida em três espaços amplos, semelhantes a galpões. Como o espaço é compartilhado, os estudantes não são agrupados no local de acordo com faixa etária ou ano.

A escola se organiza em dois núcleos de aprendizagem: iniciação e desenvolvimento. Todos os alunos entram no núcleo de iniciação, onde são trabalhados aspectos sociais, emocionais, lógicos e linguísticos. Para passar para o núcleo de desenvolvimento, o aluno precisa adquirir atitudes, valores e autonomia, além do aprendizado.

Conexão com a realidade


Para a professora Marina, a conexão com a realidade dos alunos é fundamental para o aprendizado. “Qualquer pessoa que estuda a ciência do conhecimento sabe como o conhecimento acontece de fato entre os neurônios. Sabemos que o conhecimento vai ser realmente aprendido se for realmente significativo, ele tem que ter alguma âncora com a realidade da pessoa. Não tem como aprender de verdade se a pessoa está em uma bolha, onde não está vivenciando os conhecimentos. Além disso há uma transformação da realidade, a criança descobre o seu potencial de transformação, e isso é impagável”, explica.

O secretário de Educação do Distrito Federal, Júlio Gregório Filho, também ressalta que a medida está alinhada com a necessidade de transformações no modelo pedagógico atual. “A sociedade do século 21 não se adapta à escola que foi criada para séculos anteriores. Não vamos conseguir alterar nosso sistema atual se não abrirmos espaços para novas práticas pedagógicas”, avalia.

A inspiração para a escola do Paranoá veio de outros projetos já existentes, como a Escola da Ponte, em Portugal, e o Projeto Âncora, em Cotia (SP). O pedagogo português José Pacheco, que encabeçou a criação da Escola da Ponte, participou do processo de formação da Comunidade de Aprendizagem do Paranoá.

Fonte: EBC - Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil - Título meu.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas.
Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar.
Caso você tenha feito uso dess…

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas.
O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados.Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras.As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; prev…

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas.

Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais.

População da Rússia
Densidade demográfica 8,8 hab/km²
Homens 66.644.047 habitantes
Mulheres 76.812.871 habitantes
População residente em área rural 26,08 %
População residente em área urbana 73,92 %
População total 143.456.918 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 15 por mil
Taxa bruta de natalidade 12 por mil
Taxa média anual do crescimento da população 0,042 %

População do Canadá
Densidade demográfica 4 hab/km²
Homens 17.826.268 habitantes
Mulheres 18.113.659 habitantes
População residente em área rural 18,35 %
População residente em área urbana 81,65 %
População total 35.939.927 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 8 por mil
Taxa bruta de natalidade 11 po…