Pular para o conteúdo principal

QUEM NUNCA PISOU EM UMA SALA DE AULA QUE DIGA COMO DEVE SER

Apresentada  na Wikipédia como gerente de projetos, seja lá o que isso for, a deputada federal Carla Zambelli (PSL/SP) é autora da proposta de projeto de lei (Projeto de Lei 6/20) que veda aos sistemas de educação organizar o ensino fundamental em ciclos.

O texto do projeto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9.394/96), que hoje permite essa possibilidade. Zambelli (que provavelmente nunca entrou numa sala de aula para lecionar para um 6° do Ensino Fundamental) quer proibir a organização de ensino fundamental em ciclos argumentando que “Como, dentro de um ciclo, normalmente, não está prevista a repetência, mas sim a recuperação dos conteúdos por meio de aulas de reforço, usa-se o termo progressão continuada” acredita a deputada se tratar de “uma tentativa de camuflar o fracasso escolar e as altas taxas de reprovação”.

Alguém explica para a nobre deputada que o objetivo da escola não é reprovar alunos e sim oportunizar formas de aprendizagens e que o modelo seriado ou divisão por anos nem sempre dá conta de todas as necessidades que um aluno possa apresentar.

Se há uma "progressão continuada" deve haver um intenso investimento em políticas públicas, de valorização do professor, de pluralidade de ensino e independência pedagógica das unidades educativas que possam ser capazes de corrigir quaisquer falhas no percurso do ensino formal das crianças, dos jovens e dos adolescentes. Isso significa dizer que ao Estado compete criar e dar condições efetivas para que as políticas públicas para a educação façam com que todos possam aprender e não criar medidas para impedir uma organização pedagógico-escolar que busque, em sua essência, o desrespeito aos tempos de aprendizagem dos estudantes.

As escolas (poder público) devem em conjunto com as famílias criar condições para novas possibilidades de aprendizagens e não buscar formas de retenção dos alunos. A escola que melhor ensina não é aquela que mais reprova. A qualidade do ensino não se mede com a régua do índice de reprovação e acreditar que "camuflar o fracasso escolar" só pode ser feito no sistema de ciclos é de uma ingenuidade que somente aqueles que nunca pisaram numa sala de aula podem acreditar.

Como eu gosto de propor, proposição é algo que ajuda a ampliar nossos horizontes e a criar alternativas para um mesmo problema, eu proponho à nobre deputada que faça uma faculdade de licenciatura (preferencialmente licenciatura plena e presencial, caso ainda não tenha algum diploma na área), depois com o diploma em mãos, submeta-se a um concurso público para ingressar no magistério público brasileiro como professora em uma escola pública brasileira (nesse primeiro momento não vou sugerir a geografia desta escola, sim nobre deputada, a geografia da escola, ou seja sua localização geográfica diz muito com que grupo de alunos você vai desenvolver seu trabalho educativo), e depois de pelo menos um ano de efetivo trabalho pedagógico, vivendo exclusivamente com os proventos como professora, veremos se a nobre deputada continuará a defender a letra do Projeto de Lei 6/20.

Para finalizar deixo uma pergunta (podem responder aqui nos comentários do blog): Qual a tara dessa gente em querer legislar contra o povo? Qual a lógica de um projeto cujo objetivo, em síntese, é apenas dar condições para reprovar alunos a cada ano letivo, isento de quaisquer responsabilidades de auxílio ao direito de aprendizagem dos mesmos?

Por Santiago Siqueira em colaboração com o site Geografia Escolar
com informações da Agência Câmara de Notícias.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas.
Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar.
Caso você tenha feito uso dess…

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas.
O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados.Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras.As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; prev…

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas.

Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais.

População da Rússia
Densidade demográfica 8,8 hab/km²
Homens 66.644.047 habitantes
Mulheres 76.812.871 habitantes
População residente em área rural 26,08 %
População residente em área urbana 73,92 %
População total 143.456.918 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 15 por mil
Taxa bruta de natalidade 12 por mil
Taxa média anual do crescimento da população 0,042 %

População do Canadá
Densidade demográfica 4 hab/km²
Homens 17.826.268 habitantes
Mulheres 18.113.659 habitantes
População residente em área rural 18,35 %
População residente em área urbana 81,65 %
População total 35.939.927 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 8 por mil
Taxa bruta de natalidade 11 po…