Pular para o conteúdo principal

ESTAMOS VIVENDO A ASIATICANIZAÇÃO DO MUNDO?

MORAR NOS EUA OU NA CHINA?

A democracia imperfeita ou a estabilidade do partido único

    O FUTURO É ASIÁTICO. Este é o título bem direto de um livro de
Parag Khanna, americano de origem indiana. Motivo número 1: “Demograficamente, o futuro já é asiático. Mais de 50% da população mundial vive na Ásia”. Número 2: “De 35% a 40% da economia mundial está na esfera asiática”. Terceiro, não mencionado pelo autor, mas provocante: a China, principal motor e a locomotiva dessas transformações, almeja oferecer aos vizinhos, próximos ou mais distantes, um modelo de desenvolvimento e de sistema político. Uma espécie de “capitalismo controlado pelo partido” em que a estabilidade compensa a ausência de democracia. 

    Desde que a crise do coronavírus escapou da China e contaminou o planeta, os órgãos de propaganda do regime e seus apaniguados no mundo acadêmico ocidental aceleraram a mensagem. O principal argumento é o que transparece superficialmente no mapa-múndi. De um lado, o país onde tudo começou conseguiu conter a epidemia na faixa dos 4 500 mortos. Os tropeços iniciais foram corrigidos, a economia sofreu sem sair do eixo e o grande líder Xi Jinping comandou a importante vitória estratégica — palavras dele numa reunião de cúpula do Partido Comunista — contra o vírus. Do outro lado, o país cujo modelo político propiciou o florescimento da mais poderosa potência da história parece mal das pernas. A Covid-19 matou mais de 210 000 americanos, Trump conseguiu provocar mais desunião ainda mesmo acometido pela doença viral, o caos social com origem racial proporcionou cenas inacreditáveis e metade do país odeia a outra metade. Acima de tudo, os EUA parecem ter perdido a narrativa que assegurou sua hegemonia econômica, científica, militar e artística, a do país iluminado como um farol no alto de um morro, irradiando um sistema de liberdade e progresso como jamais houvera, ancorado numa Constituição criada por gênios e à prova de idiotas, pacote fechado e bem-sucedido. 

    É claro que esse quadro foi exagerado, para o bem e para o mal, com fins de salientar a argumentação. E, acima de tudo, é para os EUA que os pobres, oprimidos e também remediados de todo o mundo sonham emigrar, nem que seja clandestinamente. É melhor fritar hambúrgueres na América do que desfrutar a estabilidade pseudoconfuciana promovida pelo partido único. Excetuando-se as elites globais que circulam em todas as esferas e nelas reproduzem seu modo privilegiado de vida, a China no máximo é um destino sonhado pelos norte-coreanos, submetidos a uma versão mais catastrófica e alucinada do que foi o maoismo. 

    O modelo chinês é impensável nas democracias avançadas. Faz mais sentido em países asiáticos sem currículo democrático ou até na África, onde a China investe pesado e monta uma teia de acordos que reproduzem, à chinesa, os métodos de cooperação — e cooptação — que propiciaram a hegemonia americana. A teia já está sendo tecida também bem no quintal latino-americano dos EUA. “No século XIX, o mundo foi europeizado”, escreve Parag Khanna. “No século XX, foi americanizado. Agora, no século XXI, o mundo está sendo irreversivelmente asiaticanizado.” Vamos chorar de saudade do imperialismo americano?

Fonte: Revista Veja 14 DE OUTUBRO, 2020 p.61

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Mapas mundi para usos múltiplos

Os trabalhos com mapas nas aulas de geografia são bastante importantes e a cartografia é uma linguagem já consolidada no auxílio das explicações geográficas, climatológicas e geológicas realizadas nas mais variadas situações didáticas.
Neste post disponibilizo alguns mapa mundi com que o professor de geografia pode utilizar nas mais variadas situações de aprendizagens. O primeiro mapa é o mapa mundi político em preto e branco com possibilidades de usos diversos, como por exemplo, divisão em continentes, países centrais e periféricos, etc. O segundo mapa mundi possui tema específico para se trabalhar as coordenadas geográficas, sendo possível elaborar jogos para melhor compreensão desse contúdo e, por fim, o terceiro mapa mundi trata-se de um mapa mudo onde é possível trabalhar vários temas de acordo com o conteúdo selecionado. Este é um mapa que pode ser aberto em um editor de imagem (como o Paint do Windows) para preencher cada país com a cor que desejar.
Caso você tenha feito uso dess…

Proposta estabelece estratégia nacional para retorno às aulas

As diretrizes nacionais, definidas em acordo por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas.
O Projeto de Lei 2949/20 estabelece uma estratégia nacional para retorno às aulas durante a pandemia de Covid-19. A proposta, do deputado Idilvan Alencar (PDT-CE), tramita na Câmara dos Deputados.Pelo texto, União, estados e municípios devem organizar colaborativamente o retorno às atividades escolares, interrompidas com o Decreto Legislativo 6/20 que reconheceu a calamidade pública por causa da pandemia. A estratégia será definida por princípios, diretrizes e protocolos, respeitadas as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades sanitárias brasileiras.As diretrizes nacionais, acordadas por todos os entes, servirão de referência para os protocolos de estados e municípios para o retorno às aulas. Elas deverão seguir princípios como atenção à saúde física e mental de profissionais de educação e estudantes; prev…

Os cinco maiores países do mundo

Rússia, Canadá, China, Estados Unidos e Brasil são os cinco maiores países do mundo em extensão territorial. A semelhança fica somente no quesito tamanho do território, quando olhamos para alguns dados populacionais as diferenças podem ser bastantes significativas.

Veja os dados populacionais de cada um desses gigantes territoriais.

População da Rússia
Densidade demográfica 8,8 hab/km²
Homens 66.644.047 habitantes
Mulheres 76.812.871 habitantes
População residente em área rural 26,08 %
População residente em área urbana 73,92 %
População total 143.456.918 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 15 por mil
Taxa bruta de natalidade 12 por mil
Taxa média anual do crescimento da população 0,042 %

População do Canadá
Densidade demográfica 4 hab/km²
Homens 17.826.268 habitantes
Mulheres 18.113.659 habitantes
População residente em área rural 18,35 %
População residente em área urbana 81,65 %
População total 35.939.927 habitantes
Taxa bruta de mortalidade 8 por mil
Taxa bruta de natalidade 11 po…